Confira os melhores da TV brasileira em 2014

Olá, internautas

Destaques de 2014 conquistaram a atenção do telespectador que, cada vez mais, acompanha a programação televisiva por outras plataformas, além do aparelho de televisão. A expressão “telenautas” ganhará mais espaço nas análises sobre o futuro da TV. Confira os melhores do ano:

MELHOR NOVELA: Amor à Vida

“Amor à Vida” chegou ao fim neste ano. A novela de Walcyr Carrasco com direção de Wolf Maya terminou com a missão cumprida. De fato, foi um “novelão”. Li por aí que a trama seria uma homenagem às novelas mexicanas. Não vejo demérito algum sobre isso.  O autor é responsável por muitos sucessos recentes da emissora. A cena do beijo de Félix e do “carneirinho” ganhou ampla repercussão. Porém, o momento que entrou, de verdade, para a memória afetiva do público surgiu no encontro entre Félix e Cesar na praia. Pai e filho conseguiram assumir o amor que sempre os uniu. Pura emoção. Já as novelas iniciadas, de fato, em 2014, não demonstraram fôlego.

MELHOR ATOR: Alexandre Nero

Alexandre Nero galgou espaço  dentro da TV Globo, trabalho após trabalho. O “verdudeiro” de “A Favorita” caiu nas graças do público e, desde lá, o ator sobressai nas produções. É o que sempre defendemos nesse espaço.  Fugir dos atores de sempre e valorizar profissionais, que ano após ano, rende bom resultado no vídeo. Nero interpreta o Comendador José Alfredo, em “Império”, e nada lembra o “zoiúdo” de “Fina Estampa”. Talento sempre sobressai.

MELHOR ATRIZ:  Patricia Pillar

Neste ano, Patricia Pillar teve dois desafios. O primeiro surgiu na minissérie “Amores Roubados” ao interpretar a esposa atormentada Isabel. Brilhou, como sempre, nas cenas com Cauã Reymond. Logo em seguida, integrou o elenco da novela das onze “O Rebu”. Viveu a socialite Angela que viria ser a assassina da história. Mais um ótimo trabalho ao lado de Sophie Charlotte. A atriz conseguiu imprimir identidades próprias para cada personagem.

 

MELHOR SÉRIE: Amores Roubados

A obra de George Moura, com supervisão de texto de Maria Adelaide Amaral, ficou habitualmente na casa dos 30 pontos, índice raramente alcançado pela emissora nos últimos tempos. O maior acerto da produção recaiu em Cauã Reymond que interpretou o “Don Juan do Sertão”, Leandro. O ator conseguiu transpirar toda a sensualidade do personagem. Desde Halley, em “A Favorita”, Cauã não estava tão à vontade no vídeo.  Ótimo trabalho.

MELHOR PROGRAMA JORNALÍSTICO: Repórter Record Investigação

A Record sempre sobressai no jornalismo. É a marca da emissora da Barra Funda. O programa de Domingos Meirelles investigou uma série de fatos noticiados pela imprensa. A edição sobre as enchentes que destruíram Porto Velho e toda a região é um bom exemplo.

MELHOR APRESENTADOR: Silvio Santos

Silvio Santos sempre arranca risadas do público. De fato, é um animador, espécie em extinção na atual televisão brasileira. Hors concours.

MELHOR APRESENTADORA: Eliana

Eliana continua com fôlego no SBT. O dominical sempre oferece algum conteúdo ao telespectador na guerra dominical.  Em 2014, o quadro Reencontro envolveu o telespectador com uma postura elegante da apresentadora ao retratar histórias comoventes.


MELHOR PROGRAMA HUMORÍSTICO:  Tá no Ar – A TV na TV

A Rede Globo estreou, neste ano, “Tá no Ar: a TV na TV”. Ótimo programa. Marcelo Adnet e equipe conseguiram trazer um humor rejuvenescido para a emissora da família Marinho. O hit da “galinha preta pintadinha” arrancou risos. “Atabaque que bate bate. Atabaque que já bateu. Acendi vela pro santo. Mas o santo não desceu”. Hahahaha. “Tá no Ar: a TV na TV” trouxe um frescor à programação do canal platinado. Humor que realmente arrancou gargalhadas. 

MELHOR REALITY SHOW:  MasterChef

O grande acerto do reality da Rede Bandeirantes apareceu no “triunvirato” formado por Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella. A chef argentina ficou no ponto exato nos comentários e julgamentos dos competidores.  Os jurados não humilharam os aspirantes à chef. Não ficaram na base do grito a todo instante, como ocorre no similar “Cozinha Sob Pressão”.  Rígidos, mas auxiliavam os participantes. Sempre buscavam o melhor dos desafiantes.


REVELAÇÃO: Chay Suede

Apesar do jovem ator já ter sido “revelado” na Rede Record, em “Ídolos” e “Rebelde”, Chay Suede ganhou ampla repercussão em “Império”, ao interpretar o jovem José Alfredo. Conquistou espaço nos programas da TV Globo e em toda a mídia (impressa, on-line, radiofônica...). Ele se revelou um fenômeno. Foi o “cara do ano”.  

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio TV às 17h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"The Bachelor" decepciona na RedeTV!

Olá, internautas

A RedeTV! decepciona com “The Bachelor – Em Busca do Grande Amor”. A atração, comandada por Fabio Arruda, estreou com uma boa perspectiva. O primeiro episódio teve um bom desenvolvimento e, principalmente, uma boa edição.

Porém, tais características se perderam. Na realidade, a emissora “vulgarizou” o reality show.  Nos “capítulos” seguintes da epopeia de Gianluca Perino, um certo ar de “soft porn” tomou conta da proposta. A edição se preocupou em mostrar a “abundância” das 15 mulheres. Em “festinhas” na mansão, as competidoras de biquíni tentavam seduzir o italiano. Mais pareciam as “atrizes” do Teste de Fidelidade, de João Kleber.

Gianluca beija uma. Logo em seguida, beija outra. E outra. E mais outra. Na realidade, é um grande harém onde as mulheres ficam à disposição do “macho alfa”. Portanto, o título do reality “Em Busca do Grande Amor” é incoerente e enganoso.

Não há o chamado romantismo. Além disso, a edição é lenta e nada convidativa. Não há uma preocupação maior em buscar histórias de vida das competidoras. Fabio Arruda, que tem uma imagem de homem requintado e elegante, não combina com esta proposta do reality.   

A RedeTV! perdeu uma boa oportunidade.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio TV às 17h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Fala Que Eu Te Escuto" questiona Natal

Olá, internautas

A programação da TV brasileira vive momentos de ressaca pós-Natal. As emissoras, de um modo geral, promoveram especiais para celebrar a data. 

Renato Aragão e Roberto Carlos continuaram a ganhar seus especiais na TV Globo. A atração de Didi foi ao ar na faixa das 15 horas do domingo (21/12). Sem maior repercussão. Já o “Rei” ganhou espaço a partir das 23 horas da terça-feira (23/12). Portanto, não colado à novela das nove. Mesmo assim, obteve um bom índice: 22 pontos. Normalmente, “Sexo e as Negas”, dona da faixa, ficava ao redor dos 14 pontos.

Já o SBT surpreendeu o telespectador ao exibir o especial  “É Natal, Mallandro” com o irreverente Sérgio Mallandro.  Ele contracenou com os atuais apresentadores da emissora de Silvio Santos, com o elenco de Chiquititas e até reencontrou a ex-mallandrinha Livia Andrade. O “rei das pegadinhas” fez enorme sucesso no SBT nos idos anos 80 e 90. O programa especial apareceu como um reencontro entre o passado do canal com o momento presente.

A TV Gazeta exibiu uma edição interessante do “Todo Seu” na noite do dia 24 de dezembro. Ronnie Von abriu as portas de sua mansão para receber amigos e convidados da atração especial.  Wanderléa, Caçulinha, Agnaldo Rayol, Jerry Adriani, Fúlvio Stefanini e Aparecida Liberato estiveram presentes. Com sua habitual elegância, Ronnie até foi surpreendido ao assistir, com a esposa Kika, as mensagens de seu pai (com 98 anos) e do filho Léo. Ponto alto nesta programação natalina.

Na madrugada do dia 24 para 25, em plena ceia que ocorria em muitos lares, a Rede Record exibiu uma edição, ao vivo, do “Fala Que Eu Te Escuto”. O programa com os pastores da Igreja Universal do Reino de Deus questionava a festividade natalina. Chamada no gerador de caracteres: “Não gosto do Natal: a data costuma ser ruim para você? Por que?”. Um telespectador disse que tinha sido péssima a data comemorativa por conta do indulto de Natal que muitos presidiários receberam e que, momentos antes da ligação, um homem aproveitou tal benefício para roubar um carro que estava a sua frente. Logicamente, é um momento frágil para diversos brasileiros que não gostam da data e/ou estão sozinhos em suas casas, e podem ser mais facilmente “capturados” pelo discurso dos religiosos da IURD.

Os programas televisivos agora já mudam de figurino. Sai Papai Noel. Entra o branco do Réveillon.   

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio TV às 20h38
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


2014: Confira os piores da TV brasileira

 

Olá, internautas

2014 ficará marcado por ser o ano da Copa do Mundo no Brasil e também pelas Eleições com Dilma Rousseff reeleita, mesmo após uma cobertura tendenciosa de parte expressiva da mídia. A TV exibiu uma série de acertos e erros. Seguem os piores de 2014:

PIOR NOVELA: G3R4ÇÃO BR4S1L

 

“G3R4ÇÃO BR4S1L” explorou, basicamente, a aura da tecnologia. Foi criada para “bombar” nas redes sociais, mas os autores esqueceram-se de emocionar o telespectador. Não divertiu. Personagens não criaram identidade com o público. Mais um erro da TV Globo na faixa das sete.

 

PIOR ATOR: Paulo Betti

 

Paulo Betti interpreta o blogueiro Téo Pereira, personagem que explora a vida íntima dos famosos e celebridades da alta sociedade na novela “Império”. O autor Aguinaldo Silva tenta discutir a ética jornalística e o direito à privacidade das pessoas públicas. Porém, o resultado é desanimador. Betti aparece completamente estereotipado. O veterano ator explora a caricatura em sua interpretação. Trejeitos forçados. Soa extremamente artificial. 

 

PIOR ATRIZ: Bruna Marquezine

 

A atriz potencializou a chatice de Luíza na novela “Em Família”. Uma coisa é ser mimada. Outra bem diferente é ser irritante. É só comparar o desempenho com Carla Marins (Joyce, em História de Amor) e Gabriela Duarte (Maria Eduarda, em Por Amor), atrizes que viveram personagens semelhantes em novelas de Manoel Carlos.  A jovem demonstrou não estar preparada para um desafio tão grande.

 


 

PIOR APRESENTADOR: Luiz Bacci

O “menino de ouro” errou em 2014. Esnobou a emissora da Barra Funda e foi de mala e cuia para a Rede Bandeirantes. Talvez, acreditou que levaria seu público para a sua nova morada. Isso, evidentemente, não aconteceu. Bacci, basicamente, berra todos os dias no vídeo. “Me dá a imagem de baixo”. “Para a imagem”. “A polícia com a arma para fora”. “Me dá o helicóptero”. Tom totalmente sensacionalista. Tal postura provocou rejeição entre os telespectadores.  

 

PIOR APRESENTADORA: Ana Hickmann

Ao invés de evoluir, Ana Hickmann involui, cada vez mais, no vídeo. A apresentadora não tem liga com os companheiros do “Programa da Tarde”, Britto Jr. e Ticiane Pinheiro. Aparece deslocada. Sobra na atração.  Não é uma comunicadora que dialoga com o público. Permanece com aura de “mestre de cerimônia” a ser reverenciada.  

 

PIOR PROGRAMA HUMORÍSTICO: Encrenca

A aura do “Pânico na TV” marca “Encrenca”, novo humorístico da RedeTV!. Os “takes” dos câmeras são idênticos ao programa de Emilio Surita e companhia. O cenário em arena fortalece tal impressão. O humorístico surgiu como um “Pânico” sem as bundas das panicats.

PIOR LOCUTOR ESPORTIVO: Ulisses Costa

O locutor da Rede Bandeirantes não viveu um bom momento profissional na Copa do Mundo 2014. Ulisses desrespeitou Hino Nacional, gritou em discussões banais com Milton Neves no “Band na Copa” e emitiu comentários na base do berro. Bola fora...

PIOR PROGRAMA DE VARIEDADES: Programa da Tarde

O “Programa da Tarde” tem apenas uma missão: manter Celso Russomanno em  visibilidade. Há ainda o quadro “Além do Peso” que já se desgastou. A atração poderia apostar muito mais no jornalismo e entrevistar atores e atrizes das novelas da emissora. É um programa cansativo.

 

PIOR PROGRAMA DE AUDITÓRIO: Tudo pela Audiência

O Multishow apostou no programa “Tudo pela Audiência” para cutucar a guerra no IBOPE da TV aberta. Porém, o tiro saiu pela culatra. Fábio Porchat e Tatá Werneck usaram das armas criticadas para justamente atrair a audiência. Uma aberração. Há um quadro sobre sexo. Lá, Fabio disparou frases ao estilo “Cu é polêmico” e “Qual a posição sexual mais fácil para engravidar?”. Sem o menor pingo de humor. 

PIOR REALITY SHOW: Big Brother Brasil 14

O “BBB 14” enfrentou o desgaste máximo do formato.  A décima quarta edição sinaliza que o programa não chama mais tanta a atenção do público. Durante a semana, ainda permaneceu com índices satisfatórios por conta do “efeito cascata”. Acrescido a isso, a falta de opções nas outras emissoras. Além disso, neste ano, o “BBB14” atrapalhou “Amores Roubados”. O telespectador teve que aguentar os aspirantes à fama instantânea para acompanhar a interessante minissérie.  

PIOR PROGRAMA ESPORTIVO: Arena SBT

Logo na estreia, deu para perceber que a nova aposta de Silvio Santos seria uma furada. Muito mal planejado. Quadros sem graça. Apresentadores sem a menor química. Enfim, um dos fracassos do ano que passou no SBT.

PIOR PROGRAMA DA TELEVISÃO BRASILEIRA: Tá na Tela da Band

Os telespectadores, que esperavam o “menino de ouro”, estão traumatizado até agora com o programa “Tá na Tela da Band”. Apresentador berrando. Plateia inerte. Sangue na tela. Sensacionalismo de péssimo tom. Programa mal planejado. Apresentador mal dirigido. Pautas inadequadas. Desperdício.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio TV às 17h25
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Império" enfrenta dilema sem Drica Moraes

Olá, internautas

“Império” enfrenta uma rara situação dentro da história da teledramaturgia brasileira. Drica Moraes, atriz que dava vida à vilã Cora, saiu da novela das nove da TV Globo por orientação médica. Em seu lugar, entrou Marjorie Estiano que sobressaiu na primeira fase do folhetim.

Na realidade, a “vilã” tinha perdido força no decorrer dos capítulos desta segunda fase. A personagem trilhava um caminho mais ameno. Até mesmo com coloração mais cômica. Cora lembrava Perpétua, de “Tieta”, novela do mesmo autor Aguinaldo Silva.

Drica saiu da trama de forma abrupta. Chamada às pressas, Marjorie foi jogada “aos leões”. Entrou sem muitas explicações. Diante da possibilidade “primeira noite de amor” com José Alfredo, a personagem rejuvenesceu. A ideia mirabolante até pode ser criativa. Porém, não convenceu diante do perfil realista da obra.

Agora, a sobrinha Cristina aparenta ser mais velha que a própria tia. O retorno da jovem Cora cria um ruído para o melhor desenvolvimento da história.  Até mesmo, a adoção de um perfil mais maléfico da vilã, com Marjorie, também poderia ter sido mais bem trabalhado durante os derradeiros capítulos.  

Realmente é uma “bomba” que caiu no colo, inesperadamente, do novelista. Teve que criar alguma justificativa plausível. Porém, o caminho poderia ter sido outro. Estiano terá um enorme desafio pela frente. O maior de sua trajetória artística. Desejamos melhoras a Drica.  

Em tempo: Carmo Dalla Vecchia entrou no meio de "Império". Infelizmente, o ator não vive um bom momento ao interpretar o ambicioso Maurilio. Devido à interpretação, o personagem é uma reencarnação de Manfred, de “Joia Rara”. Mesmo olhar. Mesmo gestual. Mesmo tom de voz.  Dalla Vecchia ainda não desencarnou do vilão da novela das seis.

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio TV às 22h48
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


"Revista da Cidade" vive bom momento na TV Gazeta

Olá, internautas

Nesta sexta-feira (19/12), o programa “Revista da Cidade” viveu um bom momento. A atração matinal da TV Gazeta, que normalmente explora culinária, informações sobre saúde e as fofocas de Leão Lobo, contou com a participação de Mariano Galdino.

O rapaz de 30 anos perdeu o contato com sua mãe e irmã há 28 anos. Durante uma viagem com o pai ao Nordeste, Maria Aparecida da Silva fugiu de casa com a outra filha. Inicialmente, o pai construiu uma imagem negativa da mãe ao então menino. Depois, a avó paterna revelou que o pai espancava a esposa.

Durante anos e anos, Mariano tentou reencontrar sua família. Sem sucesso. O nome comum Maria Aparecida da Silva prejudicou na busca. Com amigos, ele chegou a telefonar para mais de 5 mil “Marias Aparecidas da Silva”. Ele deve ter enviado cartas e cartas para diferentes produções dos programas de rádio e TV que promovem tais reencontros.

“Revista da Cidade” aceitou o desafio. O investigador conseguiu encontrar rastros da mãe e irmã de Galdino com a informação da data de nascimento. Porém, foi prejudicado. Mesmo passados 28 anos, Maria Aparecida ainda tinha medo de ser assassinada pelo ex-marido. Todos os amigos da senhora não queriam passar informações sobre o paradeiro.

Depois de muita insistência, encontrou uma brecha e, desta forma, localizou a “desaparecida”. Nesta sexta, Regiane Tápias promoveu o emocionante reencontro. “Ele era um bicho”, sentenciou a senhorinha sobre o ex-companheiro. Disse que era espancada quase diariamente. Na infância, Mariano também sofreu as agruras de seu pai. Chorou no palco da atração da TV Gazeta ao relembrar a violência paterna.

A irmã também buscava, ao longo desses 28 anos, informações sobre a família. O sonho da moça é reencontrar o pai, mesmo com esse passado nada abonador. Desencontros revelados pela violência familiar.

TV é emoção. Nesta sexta, “Revista da Cidade” confirmou o mantra apregoado por este espaço. Regiane Tápias não explorou o caso com sensacionalismo. Demonstrou delicadeza e elegância ao retratar o fato.

Caso alguém tenha algum amigo ou parente desaparecido, fica a dica. Acesse o site

www.localizacaodepessoas.com

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio TV às 20h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


Sucesso: Band acerta ponto com "MasterChef"

Olá, internautas

Na última terça-feira (16/12), a Rede Bandeirantes exibiu a grande final do “MasterChef”. A jovem Elisa Fernandes sagrou-se vitoriosa. O último episódio do reality garantiu momentos de liderança à Band. Sucesso.

O grande acerto do programa aparece no “triunvirato” formado por Erick Jacquin, Henrique Fogaça e Paola Carosella. A chef argentina ficou no ponto exato nos comentários e julgamentos dos competidores. Jacquin passou do ponto ao detonar Mohamad. O francês bradou que o jovem nunca seria cozinheiro. Após o comentário, nitidamente, ocorreu uma preocupação em preservar a imagem do rapaz.

No programa anterior da eliminação do dono da “cenoura sexy”, Jacquin se retratou, elogiou o prato preparado por Mohamad e considerou o melhor da noite. Evidentemente, o competidor funcionava como um personagem no reality. Atrapalhado. Carismático no vídeo. Os “dotes culinários” não eram exatamente o ponto forte.

Mesmo com tal observação, os jurados não humilharam os aspirantes à chef. Não ficaram na base do grito a todo instante, como ocorre no similar “Cozinha Sob Pressão”.  Rígidos, mas auxiliavam os participantes. Sempre buscavam o melhor dos desafiantes.

Estava na torcida de Helena. Acredito que a engenheira química é uma cozinheira de mão cheia. Dava vontade de degustar as delícias preparadas pela esposa de Lúcio. Teve uma boa atuação durante toda a competição. Já Elisa cresceu no decorrer da disputa, principalmente na reta final. Helena já é uma mulher experiente. Elisa é uma pedra a ser lapidada. O júri preferiu apostar na juventude. Apostava no potencial de Cecilia, Flávio e Estefano.  Eliminados precocemente.  

“MasterChef” também explorou algumas picuinhas entre a trupe. Jaime criticava, com veemência, a “colega” Jamily. A amapaense quis representar o Estado do Norte do País na disputa e falava abertamente sobre as limitações socioeconômicas, o que provocou forte rejeição em grande parte do grupo. O mais curioso é que Jaime detonava o comportamento de “coitadinha” e, ao mesmo tempo, apresentava uma postura semelhante.  O morador da Cohab encarnou a figura de “representante da periferia”.  

Nesse momento, a apresentadora Ana Paula Padrão não demonstrou imparcialidade e alfinetou Jamily no momento da eliminação. Toda essa discussão relembrou a divisão entre Norte e Sul que marcou as eleições presidenciais. Ricos versus pobres.  Ana Paula Padrão começou a aparecer mais na condução do reality do meio para o final. Emprestou, basicamente, sua credibilidade ao programa.

“MasterChef” é o maior acerto da Rede Bandeirantes em 2014. Reality com conteúdo. Que venha a segunda temporada!

Fabio Maksymczuk



Escrito por Fabio TV às 19h21
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
Sobre o autor
Fabio Maksymczuk de A. Brito é jornalista formado pela Universidade Mackenzie e graduado em Relações Públicas pela USP. Desde 2004, Fabio escreve sobre a TV brasileira no FABIOTV que atualmente integra o UOL Televisão Blogs e Blogs Legais Convidados do UOL.

Sobre o blog
O blog FABIOTV tem por objetivo discutir a programação da TV brasileira. Novelas, realities, programas de auditório, jornalísticos, esportivos e as últimas novidades da mídia eletrônica ganham destaque.

 
Histórico


 
Outros sites